Alerta faz moradores de Barão de Cocais abandonarem casas

Sirenes foram acionadas durante a madrugada no município mineiro

Da Redação / Ecológico – redacao@revistaecologico.com.br
Alerta
Publicado em: 08/02/2019

O risco de mais uma barragem se romper em Minas Gerais fez com que moradores de três comunidades no município de Barão de Cocais deixassem suas casas nesta sexta-feira (08/02). A prefeitura informou que as famílias foram encaminhadas para o Ginásio Poliesportivo da cidade, onde estão abrigadas temporariamente. A medida atinge cerca de 500 pessoas.

Os moradores das comunidadeas de Socorro, Tabuleiro e Piteiras foram acordados com sirenes durante a madrugada. Nas redes sociais, o alerta foi registrado: “Atenção, atenção, isso é uma emergência. Atenção, esta é uma situação real de emergência de rompimento de barragem. Abandonem imediatamente suas residências, sigam pela rota de fuga até o ponto de encontro e permaneçam até que sejam repassadas novas instruções.”

Conforme a prefeitura, a retirada das famílias foi feita com ônibus da Vale e outros veículos de apoio. Polícias Militares também atuaram na orientação das comunidades, informando sobre a urgência e pedindo que as pessoas saíssem com a roupa do corpo, levando documentos e apenas o dinheiro que estivesse à mão.

A retirada das pessoas foi classificada pelas autoridades como uma “precaução”. A informação oficial é de que o risco está associado a um desnível constatado na barragem Sul Superior da Mina do Gongo Soco.

Mina localizada a 100 km de Belo Horizonte - Imagem: Google Maps / Reprodução
Mina localizada a 100 km de Belo Horizonte - Imagem: Google Maps / Reprodução

Consultoria nega declaração de estabilidade

O acionamento das sirenes faz parte do Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração (PAEBM). O alerta foi iniciado pela Vale, por determinação da Agência Nacional de Mineração (ANM), após a empresa de consultoria Walm negar a Declaração de Condição de Estabilidade à barragem Sul Superior da Mina do Gongo Soco. A estrutura foi construída de forma semelhante a das barragens que se romperam em Mariana, em 2015, e em Brumadinho, há menos de um mês.

Em nota, divulgada pela prefeitura, a mineradora informou que está intensificando as inspeções na barragem e implantando um equipamento com capacidade de detectar movimentações milimétricas na estrutura. “A Vale está trazendo consultores internacionais para fazer nova avaliação da situação no próximo domingo (10/02).”


Postar comentário