No Vaticano, Carlos Nobre defende uso da 4ª Revolução Industrial para desenvolvimento da Amazônia

Nobre fez referência ao documento científico 'Marcos Científicos para Salvar a Amazônia'
Da Redação / Ecológico - redacao@souecologico.com
Meio Ambiente
Publicado em: 09/10/2019

Carlos Nobre, reconhecido cientista do IEA-USP, falou nessa terça-feira (8) ao Papa Francisco e aos bispos reunidos no Vaticano para o Sínodo para a Amazônia. Segundo O Globo, afirmou que só um novo paradigma de desenvolvimento baseado na biodiversidade da floresta em pé e no saber tradicional por meio do emprego de ciência e alta tecnologia pode trazer justiça social e riqueza sustentável para a região.

Em sua fala, Carlos Nobre fez referência ao documento científico “Marcos Científicos para Salvar a Amazônia” assinado por 60 cientistas dos países amazônicos e por pesquisadores globais da floresta, lançado oficialmente ontem.

Divulgação/USP
Divulgação/USP

Segundo o Valor, Nobre disse que “há uma oportunidade emergente de desenvolver um novo paradigma sustentável que garanta que a floresta valha muito mais em pé do que derrubada (…) Utilizando a melhor ciência e avançadas tecnologias da Quarta Revolução Industrial, esta nova abordagem pode salvar a floresta”. Nobre reforçou que “este novo paradigma de desenvolvimento sustentável” deve ser socialmente inclusivo e justo, fortalecer comunidades, indígenas e mulheres, e combinar os conhecimentos científicos com os tradicionais.

Fonte: Climainfo


Postar comentário