Governo não assina acordo internacional de limitação da exportação de resíduo plástico

Argentina, EUA e Brasil trabalharam para refutar com veemência a decisão
Da Redação / Ecológico - redacao@souecologico.com
Política Ambiental
Publicado em: 15/05/2019

Os países que fazem parte da Convenção da Basiléia da Orgnaziação das Nações Unidas (ONU) sobre resíduos tóxicos aprovaram, na última sexta-feira (10), a inclusão das exportações de resíduos plásticos misturados, não recicláveis e contaminados no regime de controle da Convenção. O acordo exige o consentimento dos países importadores antes das exportações de resíduos serem realizadas.

Pixabay
Pixabay

A grande maioria das 187 nações presentes à reunião das partes da Convenção da Basileia saudou a decisão como um avanço para a justiça ambiental e em direção a uma economia ética e circular.

Para o diretor da Basel Action Network, Jim Puckett, a decisão é “um importante primeiro passo para conter a maré de resíduos plásticos que flui dos países ricos para os países em desenvolvimento da África e da Ásia, tudo em nome da ‘reciclagem’, mas causando poluição massiva e prejudicial, tanto em terra como no mar”.

A nota amarga veio dos Estados Unidos. Apesar de não fazerem parte da Convenção, o país trabalhou em conjunto com a Argentina e o governo brasileiro para refutar com veemência a decisão, em apoio ao lobby do Institute of Scrap Recycling Industries, dos EUA, e às indústrias de plásticos e químicos presentes.

Fonte: InfoClima


Postar comentário