Yara Tupynambá: Uma vida dedicada à arte

Artista mineira apresenta mais de cem obras de sua carreira em BH
Bruno Frade- bruno@souecologico.com
Cultura
Publicado em: 10/06/2019

Uma das mais influentes artista plástica brasileira, Yara Tupynambá ganha exposição com obras que contam as diversas fases de sua carreira. “Yara Tupynambá – Uma vida na arte – Obras de 1957 a 2019” inaugura novo endereço da Errol Flynn Galeria de Arte na capital mineira (rua Curitiba, 1.862, Lourdes).

De 11 de junho a 5 de julho, com entrada franca, o público poderá conferir centenas de trabalhos da pintora com propostas culturais e educativas, divididas desde a década de 50 até os dias atuais. Com curadoria de Errol Flynn Júnior, a mostra propõe uma visita pelos principais momentos da carreira de Yara, que neste ano celebra mais de seis décadas de dedicação a arte. Durante a exposição, será lançado, ainda, catálogo-livro com imagens das obras e textos dos críticos de arte Carlos Perktold, Enock Sacramento e Olívio Tavares de Araújo.

Dividida em séries, o espaço apresenta, inicialmente, as obras em “preto e branco”. Em seguida, vêm os “desenhos de Ouro Preto”. Já a seção “Alcântara” é composta por quadros nos quais Yara começa a usar o carvão. Em outras duas séries, os destaques são a cultura popular de Minas, a cultura erudita, representada por Marília de Dirceu, além de igrejas e oratórios, valorizando o barroco mineiro.

Conchas do Ateliê e Praia de Gauguin. Foto:Tina Carvalhaes
Conchas do Ateliê e Praia de Gauguin. Foto:Tina Carvalhaes

Destaque, ainda, para “paisagens”, desenvolvida nos anos 2000. Trata-se de trabalho anterior às seções ecológica e de parques. O contato com a natureza é renovado quando Yara inicia uma série que retrata a diversidade e a importância da flora mineira.

Para o crítico de arte Enock Sacramento, a pintura, o desenho e os murais da artista têm suas raízes fincadas em Minas Gerais, de sua história à alma de seu povo. “As paisagens montanhosas de Minas, as vegetações exuberantes do Vale do Tripuí, do Vale do Rio Doce, de Inhotim e os campos rupestres da Serra do Cipó estão vivificadas em sua obra pictórica”.

As três últimas séries que compõe a exposição são inéditas: “Parques”, com destaque para o Parque Municipal, o Parque das Mangabeiras, o Parque Jacques Cousteau, no bairro Betânia, e o Parque Ecológico, na Pampulha ; “O artista visita meu ateliê” – em que as vivências de Matisse, Gauguin, Monet e Bonnard levaram a artista a se apropriar de suas figuras, inserindo-as no ambiente de seu ateliê –; e “Circo”, com trabalhos realizados em 2019.

Estar na exposição será, também, a oportunidade para o público passear pela trajetória da artista que, ainda jovem, começou a desenhar sob orientação de Alberto da Veiga Guignard, no Parque Municipal de Belo Horizonte. “Ali, aprendemos a ver a diferença das folhagens das árvores, o movimento dos galhos e a presença de pessoas em cenário bucólico. Isso foi nos anos 1950. Depois, já na escola, exercitamos os desenhos com modelo vivo e de criação, a partir da memória de nossa vivência”, conta Yara.

“Penso que dificilmente poderei reunir outra vez tantos trabalhos em uma única exposição. Portanto, esta é uma exposição fundamental em minha carreira”, completa Yara Tupynambá.

Foto: Léo Lara
Foto: Léo Lara

Serviço:

Exposição Yara Tupynambá – Uma vida na arte – Obras de 1957 a 2019

Datas: 11 de junho a 5 de julho de 2019

Local: Errol Flynn Galeria de Arte (rua Curitiba, 1.862, Lourdes)

De segunda a sexta, das 9h às 19h; sábado, das 9h às 13h

Entrada gratuita

Valor do catálogo: R$ 50


Postar comentário