Papa Francisco enviará representante a Brumadinho

No próximo dia 18, Monsenhor Duffé visitará a cidade para acompanhar de perto a realidade e ouvir os atingidos pela Vale
Bruno Frade - bruno@souecologico.com
Brumadinho
Publicado em: 15/05/2019

No dia 3 de maio, o Papa Francisco recebeu o sobrevivente da tragédia de Brumadinho. Dari Pereira esteve no Vaticano acompanhado de Frei Rodrigo Péret, da Rede Igrejas e Mineração e do Grupo de Trabalho de Mineração da CNBB.

No encontro, além de poder relatar o ocorrido em Brumadinho ao pontífice, Pereira entregou fotos das 270 pessoas mortas. Emocionado, o Papa abençoou as imagens e expressou solidariedade às famílias das vítimas. Na ocasião, também informou que no próximo dia 18 de maio, um representante enviado por ele, Monsenhor Duffé, visitará a cidade mineira para acompanhar de perto a realidade e ouvir os atingidos pela mineradora Vale.

Antes de ir a Brumadinho, o Monsenhor estará na Arquidiocese de Belo Horizonte no dia 17 de maio, onde participará do Seminário: “A Mineração e o Cuidado com a Casa Comum”, que vai refletir a missão da Igreja na defesa da Casa Comum e seu necessário posicionamento frente ao modelo econômico extrativista.

O encontro será a partir das 16h, no Museu de Ciências Naturais na PUC Minas – Av. Dom Gaspar, 290, Coração Eucarístico. Para mais informações, entre em contato pelo e-mail: aderi@pucminas.br.

Visita em Brumadinho

Já no dia 18 de maio, Monsenhor Duffé chega a Brumadinho, onde manifestará solidariedade e apoio aos atingidos pela tragédia. Confira a programação:

Sábado da Compaixão e da Solidariedade: Visita e Celebração da Esperança em Brumadinho

8h – Visita ao território e às famílias – Córrego do Feijão, com caminhada e escuta da comunidade e momento de reflexão, com a procissão até o campinho. Confira a programação:

Encontro e diálogo com os atingidos (as)

13h – Momento de oração no Parque das Cachoeiras

18h – Missa na Igreja Matriz de Brumadinho

Papa Francisco. Foto: Divulgação
Papa Francisco. Foto: Divulgação

No Vaticano, o Papa destacou que "as condições precárias de nossa casa comum se devem principalmente a um modelo econômico que vem sendo seguido há muito tempo. É voraz e orientado para o lucro, com um horizonte limitado e baseado na ilusão de crescimento econômico ilimitado. Embora muitas vezes vemos seu impacto desastroso no mundo natural e na vida das pessoas, ainda estamos relutantes em mudar".

Confira: Cobertura especial da Revista Ecológico sobre a tragédia da Vale

O despejo mortal - Parte 1

Na rota da lama - Parte 2

"Barragens são seguras. Até que caem”- Parte 3

Minas das tragédias anunciadas - Parte 4

Brasileiros querem punição da Vale - Parte 5

Abrindo as portas do sofrimento - Parte 6

Olhando o vermelho dos olhos - Parte 7

De volta ao pensamento Krenak - Parte 8

"As sirenes não tocaram..." - Parte 9

Mudanças em nome do amor - Parte 10

A abominação da desolação - Parte 11

Lamentos gerais - Parte 12


Postar comentário