Parque registra onça-parda com leucismo

Registro foi feito em unidade de conservação do Rio de Janeiro, por armadilhas fotográficas usadas em projeto de pesquisa

Fauna
Publicado em: 12/12/2018

A equipe do Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Parnaso), no Rio de Janeiro, divulgou fotos de um indivíduo de onça-parda (Puma concolor) com leucismo. Essa é uma alteração genética que causa a despigmentação dos pelos de parte ou de o todo o corpo do animal. Ao contrário do albinismo, o leucismo não afeta a íris e outras partes sem pelo no animal e também não confere maior sensibilidade à luz do sol.

Trata-se do primeiro registro dessa ocorrência em onças-pardas no mundo. Essa alteração é considerada rara em mamíferos, mesmo já tendo sido notada em tigres e leões. O ineditismo do registro fez com que a foto viralizasse na internet, assim que foi publicada no perfil do Instagram de um dos coautores do trabalho, Lucas Gonçalves, da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).

O registro foi feito em armadilhas fotográficas usadas no projeto de pesquisa “Inventário e monitoramento de mamíferos de médio e grande porte no Parnaso”, coordenado pela servidora e pesquisadora Cecilia Cronemberger de Faria.

Atualmente, Cecília cursa doutorado, no qual pretende avaliar e propor melhorias ao Programa de Monitoramento de Biodiversidade no parque. Segundo ela, a visibilidade que o registro ganhou pode ser muito útil para a obtenção de financiamento para as atividades de monitoramento do parque e destacar a importância de manter o controle da biodiversidade em unidades de conservação.

Criado em 1939, o Parnaso protege a excepcional paisagem e a rica biodiversidade do Serra do Mar, na Região Serrana do Rio de Janeiro. São 20.024 hectares de área, que se estende pelos municípios de Teresópolis, Petrópolis, Magé e Guapimirim.

Fonte: ICmBio