Que tal trocar em vez de comprar?

Convide amigos e familiares a praticarem o desapego e dê novo destino a roupas e calçados que estão encostados no guarda-roupa

Sustentabilidade
Publicado em: 20/11/2018

De acordo com a pesquisa Google Survey de 2018, os itens mais comprados pelos brasileiros na hora de gastar o dinheiro do 13º salário são roupas e calçados. Dada a tendência de muitas pessoas comprarem mais itens de vestuário do que necessitam, é bom lembrar que há inúmeras formas de renovar o guarda-roupa sem impactar o bolso e o meio ambiente.

A produção de roupas é a segunda atividade mais poluente no mundo, só ficando atrás da indústria de petróleo. Assim, se houver maneiras de atender ao desejo de ter novas roupas sem impacto ambiental, vale contemplar essa possibilidade.

Nesse contexto, a troca de roupas surge como um caminho para o consumo consciente. É uma alternativa simples e acessível para reciclar o guarda-roupa, estender a vida útil das peças e ainda desfrutar de um ótimo momento com familiares, amigos e a comunidade. Além de voltar para casa com novidades, é uma forma ainda de dar utilidade a peças que estão encostadas no armário, às vezes, por mais de anos.

Confira algumas iniciativas que organizam encontros de trocas com frequência:

Trocaderia: a iniciativa foi criada pra promover a troca de peças e objetos. Os encontros ocorrem, em média, a cada dois meses. As trocas de roupas e objetos são feitas entre as pessoas e negociadas entre os donos de cada item. (www.facebook.com/pg/trocaderia)

Projeto Gaveta: a ideia é difundir o conceito de clothing swap (troca de roupas) no Brasil, criando uma rede onde os participantes possam trocar, entre si, roupas que não usam mais e refletir sobre a importância desse movimento.(www.projetogaveta.com)

Aplicativo Roupa Livre: mais de 15 mil usuários usam esse aplicativo que é parte de um movimento maior, voltando para a conscientização sobre uma moda mais sustentável. (https://www.roupalivre.com.br/app/)

Fonte: Instituto Akatu