Serra das Araras é destaque na preservação de aves

Especialistas publicam Inventário de espécies existentes em unidade de conservação do Mato Grosso

Meio Ambiente
Publicado em: 20/11/2018

Acaba de ser publicado o mais novo inventário de Aves da Estação Ecológica da Serra das Araras (Esec Serra das Araras), Unidade de Conservação (UC) de proteção integral localizada entre os municípios de Porto Estrela e Cáceres, no Mato Grosso.

O trabalho, intitulado “Birds of Estação Ecológica da Serra das Araras, state of Mato Grosso, Brazil: additions and review”, divulgado na revista “CheckList”, é fruto do estudo de mestrado de Breno Dias Vitorino, realizado em parceria com a Angélica Vilas Boas da Frota, e orientação dos professores Josué Nunes e Solange Ikeda, da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT).

Os ornitólogos Breno Vitorino e Angélica Vilas Boas percorreram os mais diversos ambientes no interior da UC, para catalogar as espécies de aves. Além da coleta de dados em campo, eles compilaram informações presentes em estudos anteriormente realizados na UC, como também consultaram coleções científicas.

Entre os resultados apresentados no artigo está o grande número de espécies até então já registradas para a Esec Serra das Araras: 458. Breno Vitorino explica que esse expressivo número se deve, em parte, à localização geográfica da estação, que fica no bioma Cerrado, em uma zona de contato com a Amazônia e o Pantanal. Essa região é também denominada de ecótono, por conter espécies dos diferentes biomas.

O especialista chama a atenção ainda para o elevado número de espécies quase ameaçadas, ameaçadas e raras que foram registradas durante o inventário. Como exemplo: o uru-corcovado (Odontophorus gujanensis); o pequeno beija-flor topetinho-do-brasil-central (Lophornis gouldii), ameaçado de extinção em nível nacional e global; e a rara araponga-do-horto (Oxyruncus cristatus), espécie documentada pela primeira vez no estado por vitorino.

Os resultados apresentados no artigo reforçam também a importância das Unidades de Conservação, em especial da Esec Serra das Araras para a proteção das aves da porção sudoeste do Mato Grosso, região que enfrenta sérios problemas relacionados à perda e degradação de hábitats naturais.

Marcelo Leandro Feitosa de Andrade, chefe da UC, destaca a importância dos resultados da pesquisa para a gestão da Esec, em especial, de ações visando a uma possível ampliação da unidade.

Além da UNEMAT a pesquisa contou com o apoio do ICMBio, Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres (Cemave/ICMBio) e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Para ler o artigo na íntegra acesse aqui

Fonte: ICMBio