Risco de rompimento de barragens será tema de seminário em BH

Evento será realizado na Câmara Municipal e abordará medidas de segurança para o abastecimento da capital. Qualidade da água também será tema dos debates
Da Redação / redacao@revistaecologico.com.br
Mineração em Debate
Publicado em: 11/07/2019

Desde as tragédias da Samarco em 2015, na região de Mariana, e da Vale, em Brumadinho, este ano, Minas Gerais vem fortalecendo o debate em relação aos riscos de rompimento das estruturas que armazenam rejeitos de minério. O tema, essencial para a busca de medidas mais seguras para o setor, vem ao encontro do desenvolvimento de iniciativas que garantam mais proteção ao meio ambiente, à economia e à população.

Nesse contexto, visando esclarecer a sociedade sobre o risco de colapso no abastecimento de água na capital, em caso de rompimento de barragens da Região Metropolitana, a CPI das Barragens da Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH) irá realizar na próxima terça-feira (16/7), entre 15h e 21h, o “Seminário Água versus Mineração”. Estão programadas duas mesas de debates, no Hall da Presidência e no Plenário JK, com a participação de entidades ligadas à preservação ambiental, além da exibição de curtas e de intervenções culturais.

Para a primeira mesa de debates, às 16h, foram convidados Maria Teresa Reis Gontijo, do Movimento de Serras e Águas de Minas; Eric Machado, do Subcomitê da Bacia Hidrográfica do Ribeirão Onça; Benedito Rocha, do Movimento Contra Barragens de Raposos; Frei Gilvander (da Comissão Pastoral da Terra); e Rafael Gonçalves, vereador da Câmara Municipal de Raposos. Às 19h, a segunda mesa terá a participação de Marcus Vinícius Polignano, do Projeto Manuelzão; Jeanine Oliveira, do Subcomitê da Bacia Hidrográfica do Ribeirão Arrudas; Evandro Social, vereador da Câmara Municipal de Raposos; Júlio Grilo, da Promutuca; e Lilian M Costa, moradora de Macacos.

Apuração intensificada

Depois do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, que deixou 247 mortos e 23 desaparecidos em 25 de janeiro, foram realizadas dezenas de oitivas de representantes do governo do Estado, órgãos estaduais ligados ao Meio Ambiente, mineradoras, ambientalistas e estudiosos.

Por meio de oitivas e visitas técnicas da Comissão Parlamentar de Inquérito a Brumadinho, Nova Lima, Rio Acima, Macacos, Ouro Preto e Itabirito, de março a junho deste ano, os vereadores vêm reunindo informações sobre os impactos da atividade minerária sobre a população e o meio ambiente. Sobretudo às Bacias dos Rios Paraopeba e das Velhas, que foram impactadas pela lama de rejeitos das duas tragédias.

A CPI fez cinco visitas técnicas: ao Sistema de Produção de Água do Rio Paraopeba, em Brumadinho; ao Sistema de Produção de Água do Sistema Rio das Velhas, em Nova Lima; à Mina do Engenho, em Rio Acima; às Barragens B3/B4 da Mina de Mar Azul, em Macacos; à Mina da Fábrica - Barragens Forquilha I, II e III, em Ouro Preto; à Mina do Pico - Barragem Maravilha II, em Itabirito.

Saiba mais

O "Seminário Água versus Mineração" é gratuito e aberto a qualquer cidadão interessado. Para participar, basta fazer a inscrição no Portal CMBH por meio do link bit.ly/2JA9WwZ.

(*) Com informações da Superintendência de Comunicação Institucional da CMBH.


Postar comentário